Eixos Temáticos

O tema “Horizontes Possíveis”, será abordado em três eixos temáticos. Cada eixo contará com uma mesa-redonda, um simpósio e uma sessão de pôsteres.

Eixo Temático 1: Discurso, Cultura, Arte
Coordenadoras:
Nádia Régia Maffi Neckel (UNISUL)
Solange Mittmann (UFRGS)
Suzy Lagazzi (Unicamp)
Ementa:
O Eixo Discurso, Cultura e Arte propõe realçar a potência das práticas discursivas culturais e artísticas enquanto “alavancas” de horizontes possíveis para novos laços sociais. Nossa luta vai em busca da afirmação da arte e da cultura como possibilidades de acolher a alteridade nas diferenças que a constituem, de modo a afetar as relações no social a partir de projeções sensíveis marcadas pelo alhures. Falamos de furo na repetição parafrástica dos sentidos, falamos do não-sentido irrompendo na cadeia significante. As práticas artísticas e culturais se fazem refúgio para o sujeito e abertura para gestos de resistência simbólica, se fazem retomadas para reencontros e ressiginificação do político nas diferentes materialidades significantes que as estruturam. Queremos que as discussões de gênero, raça, classe, minorias em luta… tenham espaço de circulação e respiro. Queremos entrelaçar fios de muitas cores e espessuras a fim de (a)bordar novos horizontes e tra(n)çar composições inusitadas.

—————————————————————————————————————-

Eixo temático 2: Discurso, Mídia, Política
Coordenadoras:
Giovanna Benedetto Flores (UNISUL)
Juliana da Silveira (UNISUL)
Mónica Graciela Zoppi Fontana (Unicamp)
Ementa:
A partir do tema Horizontes Possíveis, o eixo Discurso, Mídia, Política se propõe a pensar como é possível produzir fissuras na cobertura das mídias hegemônicas em um cenário de aprofundamento dos cercamentos midiáticos, fortalecimento de oligopólios, das políticas de vigilância e erosão dos espaços democráticos que visam impedir e controlar a circulação e legitimação pública de vozes e discursos contra-hegemônicos. Como trazer para o centro dos debates novas agendas, outras vozes, outros olhares, outras mídias? Como potencializar espaços midiáticos que atuam nas periferias dos sistemas, apostando na coletividade, na construção de mídias comunitárias, alternativas e independentes? Como o político pode irromper na pólis, abrindo horizontes para outras formas de construir o laço social que acolham a diferença e que enclausurem a violência e o ódio? Como dar visibilidade e fortalecer espaços para uma fala e um agir públicos que mobilizem o desejo para uma transformação política das vidas presentes e futuras na potência dos corpos que resistem ao silenciamento e à segregação?

—————————————————————————————————————-

Eixo temático 3: Discurso, Educação, Ciência
Coordenadoras:
Andréia Daltoé (UNISUL)
Claudia Pfeiffer (Unicamp)
Solange Maria Leda Gallo (UNISUL)
Ementa:
Horizontes possíveis por entre práticas científicas e educacionais que se enredam é a abertura convidativa do presente eixo. O que podem educação e ciência? As lutas por um comum, um fazer comum, um estar no comum que inscrevem o trabalho real na diferença e não na encenação da diversidade potencializam práticas educacionais e científicas que se abrem para um possível alheio à apropriação privada do conhecimento e da vida. Que espaços de práticas coletivas que visam uma ciência e uma educação outras podemos vislumbrar no respiro necessário às injunções neoliberais, aos discursos racializados e de gênero que trituram e homogeneízam nossas formas de presença no social? Sempre sensíveis às diferentes materialidades, e seus efeitos, por meio das quais essas práticas se instauram, como, por exemplo, a materialidade técnica digital dos novos espaços enunciativos onde uma parcela significativa destas práticas estão se dando, conclamamos as brechas, as fissuras que, no fazer com, elaborar com, formular com, pesquisar com, construir com, compartilhar com, ensinar com, permitem outros possíveis para que as ciências e as educações sejam praticadas.